Entenda a realidade na Emgepron.

Entenda a realidade na Emgepron.
Observem: Nesse Blog não há intenção de denegrir ninguém. A ideia é tornar pública as injustiças e estimular a luta por justiça. As referências feitas a pessoas são meramente por situações ocasionais e contextuais que ajudam ou, muitas das vezes, dificultam essa tão sonhada justiça, situações típicas de "ligar o milagre ao santo" que o praticou. O Blog se destina a crônicas, opiniões, desabafos e comemorações sobre a vitória dos Trabalhadores sobre a Injustiça.

DOCUMENTO PUBLICADO EM 23 DE AGOSTO DE 2014.

DOCUMENTO PUBLICADO EM 23 DE AGOSTO DE 2014.
DOCUMENTO DO 1° DN À PROCURADORA ISABELA TERZI DO MPT/ADMINISTRAÇÃO DA ESTATAL CONTRATOU O ADVOGADO DE 1 MILHÃO QUINHENTOS E QUARENTA E OITO MIL REAIS PARA ANULAR A SENTENÇA TRANSITADA EM JULGADO.

sábado, 24 de junho de 2017

O medo é o pior inimigo dos trabalhadores.

Todas essas postagens sobre essa luta é um pedido pessoal do Nilo.
https://drive.google.com/open?id=0B2-ug3ZgcxVxR0o3SWw4Yy10NVk 

    As críticas ao Nilo são covardes e desleais. As desculpas para deixar dois trabalhadores sozinhos na Manifestação são esfarrapadas e ridículas. Porque as pessoas mentem?
 
    É só dizerem que preferem ficar na comodidade. Agora, dizerem que só vão à luta se o companheiro de frente souber falar o português correto é sacanagem.

    Trabalhei seis anos aí. Lutei lado a lado com Nilo e outros trabalhadores de fibra e nesse Blog, desde 2011, tentando o que se mostrou impossível (pelo menos para mim): ativar a consciência coletiva dos trabalhadores da necessidade de união e de luta.

    Por anos, eu, Nilo, João Carlos e alguns outros íamos ao sindicato, muitas das vezes até três vezes na semana saindo de lá onze horas da noite... É verdade, nadamos e morremos na praia. Mas, a culpa foi dos próprios trabalhadores, não daquela meia dúzias de operários que iam para cima deles, se posicionavam nas escadarias da barbearia, no do Arsenal de Marinha, e nas ruas.

    Conheço o pensamento dos trabalhadores do arsenal, FAJ e LFM. Sem dúvidas vocês sentem medo de serem punidos pela administração-militar arcaica dessa Estatal, não se envolvem nas lutas por direitos por se preocupar com seus empregos e famílias. Mas é exatamente por isso que Nilo tem toda razão por dizer o que diz: ele se sente injustiçado, traído e humilhado quando o chamam de maluco e analfabeto, quando, na verdade, ele é um guerreiro com consciência político-social e sabe que os trabalhadores são roubados financeiramente por causa desse medo que submete, divide, segrega e humilha os que tem coragem e não sentem medo como ele.



 

    Há trabalhadores que falam português bonito aí, estão sempre nas comissões de "negociação" com a administração da estatal e "cipas", esses levantam a bandeira de luta? Pensam neles próprios ou no coletivo?

   Observem bem: Esses posts são um pedido do Nilo, pedido pessoal do Nilo a mim. Não tenho nenhum interesse nos assuntos Emgepron. Eu já escrevia aqui que as ações coletivas eram fracas, que cairiam, que os trabalhadores não deviam confiar em tribunais e juízes corporativistas.

    A administração-militar da Estatal precisa respeitar direitos, a Constituição Federal. 
Uma das coisas que queria fazer, fiz. "Se mantiver os olhos abertos, até o menor dos homens pode se vingar do mais poderoso" (Puzo): A Estatal estará no banco dos réus por ato de improbidade administrativa, ainda esse ano, respondendo Ação Civil Pública movida pelo Ministério Público do Trabalho:

8 comentários:

  1. meus povo da nossa querida engepron obrigado porque niguem foi.agente mostro pros home que agente ta unido.agente comsigiu almento so no sidicato dois sidalti e essi dois comunista que tira nosso almento.ve si podi.

    seu nilo apredi fala premero ta.fala tudo erado e que se nosso lide num podi. nosso lide era seu jao.mostrei pro meu chefe essi blog de oje qui os pessoal gosta dois home,da mariha,da nossa enpresa

    ResponderExcluir
  2. meus povo todu mudo vai passar pro cuadro. Ispera com fe bom dia

    ResponderExcluir
  3. os home e tudo altoridade massima meu filio.os home num tem medo di juis nao.os home ta serto.qem que gaha muito proucura otro eprego. Os home num podi paga muito nao. so poquiho.

    ResponderExcluir
  4. genti vamus passar pru quadru sim.....mais para aprender a ler e escrever e com isso agradecer com cartinhas a papai noel o fatu de andarmus e falarmus ......né fabetu ????

    ResponderExcluir
  5. bom dia meus povo.essi dai neim sabi di nada enoceinti.os servido da mariha passarao tudo pro cuadro porque nao sabi iscreve meu filio.voce que se letrado tem qui fase cocursso.agente qui sabi poco vai vira servido vai rino mermo.meus povo eu falei com meu chefe qui os pessoal dexo o seu nilo la com cara de taxo.falei que agente num gosta dele porque ele que da uma di axitado com os pessoal comunista.os home ta comtemte com agente.meus povo le la meu feisse.eu iscrevo la agora.teim novidadi la.bom dia meus povo.

    ResponderExcluir
  6. Meu amigo Alexandre,

    Sinto discordar de você, mas não fomos covardes. Não desta vez. Quem foi covarde foi o Sindicato dos Metalúrgicos, que desde que pegou nossa grana, desapareceu. Não fomos apoiados quando mais precisamos. O jurídico dele fazendo corpo mole, a dificuldade em responder a gente, a apatia quando se trata dos trabalhadores da Emgepron em comparação aos trabalhadores de outras empresas era nítida. Até todas as notícias relacionadas a nós eles retiraram da página.

    Me diga, como confiar num sindicato que age assim conosco?

    O sindicato dos metalúrgicos só apareceu agora, que o sindicato das calcinhas ressurgiu das cinzas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem, pelo que entendi, o Sindicato das Calcinhas "apareceu", já que o sindicato dos metalúrgicos não fez nada.

      As calcinhas "garantiu" aos trabalhadores uma parcela de 900 reais e 8% de reajuste salarial, num acordo mútuo com o Sintec (isso pelo que fiquei sabendo, sendo que o Sintec garantiu piso salarial para os técnicos e as Calcinhas não fez nada para vocês, verdinhos e cinzas administrativos, receberem piso da categoria profissional a qual vocês pertencem... que tipo de sindicato e de negociação são esses?).

      O sindicato dos metalúrgicos foi apáticos e vocês são profissionais metalúrgicos, só que um sindicato de costureiras faz o acordo por vocês sem garantir aos profissionais salários justos (como o Sintec fez para os técnicos de ETAM)?

      A culpa de toda danação é de vocês.

      Você está errado, companheiro, a força está com os trabalhadores.

      Somos nós (lembre-se do exemplo da comperj e da nossa manifestação em 20 de maio de 2014 ocupando a Praça da Candelária e fechando a Avenida Rio Branco em passeata, foram os trabalhadores que tiveram iniciativa em ambos os casos) que obrigam o sindicato a sair da burocracia e acordos de portas fechadas vir pra luta.

      Excluir
    2. Isso foi fruto de trabalhadores da Estatal, verdinhos e cinzas, juntos. Nâo foi o Sindicato que foi nos buscar, fomos nós que o obrigou a ir pra rua conosco, não o contrário:

      https://www.facebook.com/pg/metalurgicosdaemgepron/videos/?ref=page_internal

      Houve luta, companheiro. Se não vencemos, se pergunte qual o valor de MAIS de UM MILHÃO E MEIO de REAIS entregues nas mãos de um único advogado? Se pergunte por que a Juíza Gláucia se acovardou diante desse advogado milionário com dinheiro público da Estatal da Marinha em audiência pública (há áudio gravado)? CORRUPÇÃO BRANCA JUDICIÁRIA, CORPORATIVISMO.

      Não há outra explicação para que o judiciário desse aval para profissionais receberem pisos salariais inferiores ao piso salarial de um ajudante.

      Excluir

Quando um homem perde a fé em algo, ele perde a motivação de lutar por esse algo.

Devida situação atípica, os Comentários estão abertos.